Lá se pensam, cá se fazem.

IN.FUSION - vestidos do mundo

O IN.fusion é um projeto que pretende desenvolver o diálogo intercultural usando como canal de comunicação o vestuário. É através do vestuário, seu desenho, conceção e comercialização que o projeto pretende converter vulnerabilidades sociais, culturais e económicas existentes em Lisboa em inclusão social, reforçando o respeito pela diversidade cultural e gestão da coexistência de diferentes identidades culturais. Num país em que a diáspora faz parte da História, Lisboa é uma capital foco de miscigenação e rica em diversidade cultural. Neste contexto, a inclusão social e o diálogo cultural são temáticas relevantes, nas quais é importante pensar e promover já que as mesmas geram valor que se reflete no crescimento económico e sociocultural do país. Como em outras capitais, a Moda em Lisboa tem um papel cada vez mais relevante. Sendo a roupa que vestimos uma forma de expressão e de identificação, acreditamos na sua utilização como ponte para um diálogo intercultural e enquanto um instrumento de inclusão social. Entre certos grupos, étnicos, culturais, religiosos, etc. é frequente a existência de um código de vestuário o que pode criar barreiras de integração uma vez que o seu uso é para as minorias uma forma de manter a sua identidade e para a maioria uma alienação dos seus costumes. É neste contexto que surge o projeto IN.fusion, uma incubadora de ofícios onde se desenvolvem projetos de fusão de tecidos comuns com tradicionais de vários origens, começando por capulanas africanas e posteriormente outros tecidos locais . Pretende-se criar um vestuário simultaneamente que combine o moderno e o tradicional e que expresse não só um reconhecimento como uma aceitação de uma identidade intercultural. A consciência social é um dos pilares do projeto IN.fusion. Uma das preocupações é o esmorecimento do comércio local e atividades como a costura ou alfaiataria, que deixam estes sectores numa situação de vulnerabilidade económica. O IN.fusion será desenvolvido em parceria entre artesãos locais (costureiros, modistas, alfaiates) e designers de moda, criando vestuário de peças únicas (uma vez que os tecidos étnicos são de uma maneira geral individuais) para todas as culturas e idades. Queremos então associar o pulsar dos novos ritmos movimentos na área da moda aos sons de várias tradições. O IN.fusion procura ir mais longe e ser um veículo também para o diálogo intercultural, reforçando o respeito pela diversidade cultural e gestão da coexistência de diferentes identidades. Mais, o IN.fusion é sem dúvida um modo de empreendedorismo, uma alternativa ao comércio tradicional com o objetivo de dinamizar a rua, reabilitar a cidade e criar trabalho.

Ana Joao Ferreira

Visionário
Hull, Reino Unido

Rute Martins

Facilitador
Lisboa, Portugal

Selma Uamusse

Comunicador
Bruxelas, Bélgica

Comentários