Lá se pensam, cá se fazem.

Habilita-te +

Um número grande de cursos superiores (durante o seu decurso) carece de 'relação directa com a realidade da profissão', assim como da relação/comunicação com outras profissões/actividades complementares. Identificamos o curso de arquitectura como um dos mais 'afectados' neste sentido. Sendo essa carência acentuada no seguimento do término do curso, quando os recém licenciados não encontram entidades de acolhimento (devido à crise instalada no sector) para a realização do estágio profissional (estágio que tem por objectivo 'pôr em prática' e experimentar as matérias abordadas durante o curso, com o objectivo de consolidar conhecimentos e ganhar prática profissional). Neste sentido, o projecto Habilita-te + promove a oportunidade de os alunos colmatarem as carências acima referidas através da requalificação de imóveis e/ou espaços devolutos, convertendo-os em baixas rendas e rendas flexíveis assim como em espaços dignos para a comunidade. O projecto Habilita-te + faz a mediação entre alunos e imóveis e/ou espaços devolutos, os quais servem de objecto de trabalho aos alunos, primeiramente no âmbito da faculdade (durante a fase de projecto) e posteriormente no âmbito de estágio (durante a fase de construção). O projecto medeia também a relação entre alunos e uma base de parceiros, públicos e privados, que viabilizam e agilizam o processo nas suas diversas variantes. É de extrema importância a criação destas dinâmicas! Como anteriormente referido, para a concretização da ideia é necessário criar parcerias-chave: com a(s) faculdade(s), de modo que os alunos sejam inicialmente envolvidos. Os imóveis e/ou espaços devolutos são seleccionados junto de proprietários privados e/ou públicos e comunidades afectas (quando se justifique). O apoio dos professores (faculdade) no desenvolvimento do projecto, assim como de consultores 'parceiros', é crucial. Será igualmente de extrema importância a criação de parcerias com empresas de consultoria, construção, materiais, etc, assim como de entidades de interesse público, para promover a requalificação íntegra e a custo zero/reduzido. O impacto desejado é: colmatar a carência de conhecimentos e experiências práticas afecta aos alunos e estagiários de arquitectura recém licenciados; criar dinâmicas entre estudantes/profissionais/instituições que desenvolvem actividades/funções que se complementam; criar dinâmicas entre profissionais e 'clientes' (individual ou comunidade); promover estágios profissionais que capacitem os recém-licenciados para a sua futura vida profissional. Todas estas acções culminam na requalificação justa do tecido urbano e social da cidade.

Filipa Verol de Araújo

Visionário
Lisboa, Portugal

Diogo Madeira

Facilitador
São Paulo, Brasil

Rodrigo Sequeira Dias Filipe

Comunicador
Ponta Delgada, Açore, Portugal

Gonçalo Calçada

Facilitador
Paris, França

Comentários