Lá se pensam, cá se fazem.

MIN.ERGIA

VISÃO Somos uma plataforma de projeto, sedimentada num conceito de armazém de recursos, que atua na área da reabilitação através de intervenções sustentáveis do ponto de vista do património, da sociedade e da economia. PROBLEMA Num contexto de estagnação e asfixia económica que afeta todo o setor da construção, importa repensar os processos de reabilitação, desde o seu financiamento até à sua pertinência. Conscientes da forte atenção dada à reabilitação dos centros históricos, esta equipa volta-se para as áreas geográficas periféricas, que representam em média 70% da área do parque edificado, onde se acumulam edifícios desadequados, devolutos e estagnados que urgem de intervenções de reabilitação, no sentido de os tornar edifícios ativos e adequados ao mercado imobiliário nacional. Interessa-nos a regeneração, a recuperação e a reativação dos edifícios, adequando-os às legislações mais recentes, numa perspetiva de sustentabilidade, envolvendo a arquitetura como disciplina reguladora da qualidade das intervenções, em termos urbanos, espaciais e energéticos. Interessa-nos prolongar esta regeneração às especificidades empresariais, produtivas, económicas e humanas do local, de forma a integrarem o processo de reabilitação. SOLUÇÃO - “RESOURCING” COMO UM ARMAZÉM DE RECURSOS Entendendo a pertinência da adequação mútua entre recursos e projeto, desenvolvemos um conceito de armazém de recursos, intrínseco à plataforma. Pretende-se desenvolver um sistema dinâmico, constituído por uma base de dados, materiais e serviços que, quando ativados, terão de gerar uma contrapartida que reverta diretamente para o projeto. Os principais municiadores do armazém de recursos resultam de processos de trabalho e da possibilidade de nele serem depositados materiais e serviços. Os municiadores basilares do armazém de recursos são, numa primeira fase, resultado de um processo de análise de prospeção feita no sentido de verificar as carências e as potencialidades inerentes ao edifício, ao mesmo tempo que procuramos, localmente, o património físico e humano que poderá, de forma ativa, intervir no processo de reabilitação. Os restantes municiadores são resultado de um processo exterior ao próprio edifício e ao seu contexto, e resultam do armazenamento direto de recursos, organizados numa plataforma interativa, que os categoriza como: Matéricos; Serviços; Networking; Suplementos; CONCRETIZAÇÃO - PROJETO – OBRA O projecto terá de adequar a intervenção no edifício ao património identificado no contexto local, aos serviços, aos materiais e informação alojados no armazém de recursos, utilizando multi-elementos para baixar o ónus da intervenção. O projeto envolve, de forma efetiva, as conclusões desenvolvidas na análise e propõe a integração adequada de sistemas de energias renováveis, integrados numa perspetiva de património qualificado, com o objetivo maior de aumentar em qualidade de vida e diminuir em gastos de energia, numa intervenção de custos controlados, sendo essa a génese das intervenções a propor. Não importa reabilitar por reabilitar, importa SIM reabilitar de uma forma sustentável, potenciando o existente.

Sofia Gaspar

Visionário
Genebra, Suíça

Adriano Reis

Facilitador
Genebra, Suíça

Telmo Reis

Comunicador
Vila Nova de Gaia, Portugal

Comentários