Lá se pensam, cá se fazem.

Salva a Lã Portuguesa

O nosso desejo de usar um produto natural e nacional, levou-nos a desenvolver um projecto que tem como objectivo aproveitar a lã portuguesa e produzir um fio sustentável. Os produtos locais são a base da criação de um comércio justo. Infelizmente a lã natural portuguesa já há algumas décadas tem vindo a desaparecer do mercado de fios e vestuário. Nos últimos anos temos assistido a um maior interesse no processo tradicional chegando aos espaços públicos, onde os jovens retomam os conhecimentos ancestrais para produzirem peças actuais. A qualidade de lã é a garantia de uma peça duradoura que justifica o trabalho dedicado para a sua produção. O mercado actual oferece na maioria fios importados e muitas vezes de baixas percentagens de lã natural, preferindo os fios sintéticos. Mas hoje em dia está surgir a procura de fios naturais, que o nosso mercado não está a oferecer, apesar de ser um dos mais antigos criadores de ovelhas da Europa. A ovelha dá carne, leite e lã. Mas é a lã é o menos aproveitado e na maioria das vezes desperdiçado. A não existir um mercado que compre a lã tosquiada, os criadores acabam por simplesmente queimá-la. Portugal durante séculos desenvolveu uma identidade cultural associada ao uso da lã. A malha, com os seus diversos padrões, é parte da cultura Portuguesa que, para continuar a existir, precisa de matéria prima local. Por exemplo, os países do norte da Europa, mostram uma continuidade na criação de lã e de peças de vestuário, desenvolvendo a economia local e nacional. Portugal conta com mais de uma dezena de raças autóctones de ovinos. É uma grande variedade que proporciona diferentes tipos de textura, consistência e côr, o que dá uma vasta gama de produtos com características diferentes. Este tipo de produto negligenciado é tão representativo da nossa cultura tal como a carne, o leite ou o queijo. As notícias mais recentes informam que o fio natural voltou a ser usado na produção do vestuário dos bombeiros, uma vez que em contacto com o fogo comporta-se de uma forma mais segura do que o fio sintético. O conforto do fio natural, dado pela a sua caraterística porosa, proporciona um balanço hidrotérmico entre o ambiente e o corpo. A produção do fio de lã conta com três etapas – a recolha, o processamento e a produção do fio. O projecto visa assim criar uma plataforma que dialoga com os intervenientes destas três etapas: criadores, tosquiadores, fiadeiros e tricotadeiros. A ideia conta com apoio de uma equipa multidisciplinar para pôr em prática o projecto “Salva a Lã Portuguesa”, para que chegue aos tricotadeiros de todo o mundo. Vamos vestir o que criamos. É confortável, duradouro, sustentável, bioclimático e reciclável - A Lã Portuguesa a Aquecer o Mundo!

Filipe Raposo

Visionário
Estocolmo, Suécia

Mafalda Pacheco

Facilitador
Lisboa, Portugal

Egle Bazaraite

Comunicador
Lisboa, Portugal

Sara Lucas

Facilitador
Lisboa, Portugal

Comentários