Lá se pensam, cá se fazem.

Memórias com Asas

Muitas são as aldeias que ficam cada vez mais imersas na solidão e no isolamento… Muitos são os saberes populares acerca dos nomes, cantos e vida das Aves que passavam de pais para filhos e de avós para netos, através de histórias, cantigas, lengas-lengas, propiciando momentos de partilha, convívio e revelando a proximidade das pessoas ao meio natural… Quando emerge este vazio e já não há ouvidos para acolher esta sabedoria torna-se urgente uma intervenção para que estes saberes não se tornem mais uma campa sem identificação. A ideia do projecto Memórias com Asas surge assim de uma relação simbólica entre as Aves e a População das Aldeias em risco de desertificação. Com a situação actual do país, cada vez mais se verifica um fluxo migratório da população, tanto para o estrangeiro como uma forte movimentação dos habitantes do meio rural para o meio urbano. No caso das aldeias Trasmontanas esta realidade apodera-se dos povoamentos, levando com ela tanto os seus habitantes como toda a sua riqueza natural, social e cultural. Surgindo o cantar das Aves como um elemento que rompe este silêncio, que invade os espaços rurais. Ao longo dos tempos, Aves e Populações revelaram coabitar e conciliar as suas vidas no mesmo espaço, partilhando muitos comportamentos dentro dos quais os hábitos de migração. A sua convivência é diária, sendo que dentro das populações de aves que pairam nas aldeias muitas delas têm uma natureza migratória, com uma sazonalidade marcada que se enquadra com as lides tradicionais da dinâmica das aldeias. Apresentando-se a emigração como pano de fundo da desertificação, surge o paralelismo com as aves e as suas migrações. Pelo que Memórias com Asas propõem-se incidir sobre a riqueza cultural e sabedoria popular acerca da Avifauna como forma de abordar as questões do isolamento, envelhecimento, emigração e consequente perda de património imaterial das aldeias. Assim, conciliando Psicologia Social, Multimédia e Ornitologia, propomos um projecto que possibilite a recuperação, registo e revitalização das tradições orais e saberes populares das comunidades sobre as Aves; que propicie a sua difusão na comunidade através de actividades que envolvam a partilha intergeracional e a sensibilização ambiental, utilizando a proximidade com as aves como forma de aumentar a proximidade relacional. Para potenciar este trabalho, através de uma plataforma de comunicação, pretendemos criar um espaço de partilha para cada aldeia participante, possibilitando a diminuição da distância física e emocional das pessoas às suas raízes, bem como potenciando o valor ambiental, cultural e turístico das povoações. Memórias com Asas, um projecto de cariz ambiental, com e para as pessoas.

Gaëlle de Oliveira Carvalho

Visionário
Vila Real, Portugal

David Carvalho

Facilitador
Agen, França

Luis Queirós

Comunicador
Vila Real, Portugal

Comentários